Apresentações em público, conversas com pessoas importantes e entrevistas de emprego são algumas situações que se sua dicção não falhou, a de alguém próximo a você, sim. Então, nada mais justo do que nós, a maior academia de oratória da América Latina, ajudarmos você a se preparar para que isso nunca mais aconteça.

É por isso que prepararmos esse guia prático e simples de como melhorar a dicção. Bora conferir!

O que é dicção?

  1. Maneira, modo de dizer, de pronunciar as palavras – articulação, pronunciação, pronúncia.
  2. Expressão, sentença, vocábulo ou reunião ordenada, de certos sons que expressam um pensamento.
  3. Arte ou modo de dizer no que se refere à estrutura e às escolhas das palavras certas e que objetivam uma comunicação eficiente – estilo.

Fonte: Dicio, Dicionário Online de Português

Apesar de muito utilizado, o termo dicção ainda é alvo de dúvidas, por exemplo, como melhorá-la? Antes de responder tal pergunta, é fundamental saber que a dicção não é formada apenas pela voz, mas, sim, pelos lábios, língua, bochechas, palato, mandíbulas e até mesmo a arcada dentária.

Em um processo comunicacional o objetivo é um só: fazer com que o(s) ouvinte(s) entendam absorvam a mensagem. Nessa composição, a dicção é um elemento que não pode ser mal executado ou deixado de lado. E isso você confirma no conteúdo abaixo que separamos para você!

 

É comum que não haja consciência plena do poder da boa dicção, principalmente no que diz respeito aos processos que ocorrem simultaneamente, como, a leitura labial. Observe que ao conversar com uma pessoa sua atenção volta-se a voz e também a própria boca. Isso acontece inconscientemente e é uma das artimanhas que utilizamos para entender completamente o que nos está sendo transmitido.

Por que cometemos erros de dicção?

Assim como em qualquer outro aspecto da comunicação e da vida humana, é comum que erros sejam cometidos. Com a dicção não seria diferente. Entretanto, jamais considere a frequência de erros parte do seu dia a dia, principalmente em se tratando da comunicação. A fala é formada por múltiplos processos e os problemas podem variar de pessoa para pessoa, então é importante essa avaliação antes de saber qual técnica deve ser aplicada para posteriores melhorias. 

Hábito

Considerado uma das principais razões para os erros de dicção, o hábito da má articulação da boca e a fala acelerada prejudica não só quem fala, mas principalmente quem escuta. Entender a formação do hábito é um dos fatores principais para modificá-lo. 

Segundo Charles Duhigg (autor do livro “O Poder do Hábito”), um hábito não surge da noite para o dia, muito menos pode ser mudado de maneira instantânea. Por isso, é natural que alguns hábitos demorem um pouco mais a se formar e se transformar, já que o tempo do processo varia de pessoa para pessoa e, também, de hábito para hábito.

A formação de cada hábito passa, basicamente, por três etapas: deixa, rotina e recompensa. A deixa é o clique que aciona tal comportamento. Em seguida vem a rotina, que dá frequência a esse comportamento. Por fim, vem a recompensa. Esse momento é justamente o prêmio que motivou a busca, normalmente caracterizado por uma sensação de prazer e realização momentânea.

Apesar de parecer fácil, a construção e desconstrução de hábitos não é tão simples assim. Por isso, mantenha sempre por perto uma “agenda”

Tais ações facilitaram a chegada ao objetivo maior, bem como dará a você a possibilidade de enxergar sua trilha de erros e acertos. E é para lhe ajudar nessa prática em busca de uma melhor comunicação que preparamos o Guia prático: como perder o medo e falar bem em público”.

Psicológico

É comum ouvirmos que certa pessoa tem dificuldade de pronunciar certas palavras específicas ou frases, e que no final acaba envergonhada com isso. Mas calma! Cada indivíduo tem suas características e peculiaridades, basta entendê-las e treiná-las adequadamente.

Se você está lendo isso, provavelmente já passou por uma situação de extremo nervosismo, a qual influenciou diretamente sua dicção. Uma vez em que seu corpo esteja em situação de nervosismo e/ou ansiedade, todo corpo se comportará assim, originando problemas de coordenação e pensamento, os quais podem gerar dificuldades na fala ou na movimentação da boca e da língua.  

Ao entender os gatilhos, é chegada a hora de entender quais ferramentas e técnicas utilizar para controlar todo o nervosismo e a ansiedade. Nesse cenário, a técnica da ancoragem é uma grande aliada.

Físico

Além da influência psicológica e de hábitos, os problemas de dicção também podem ser ocasionados por motivos diretamente ligados à saúde. É nesse cenário que entra o auxílio de um profissional da área de fonoaudiologia. Além de trabalhar em hospitais, escolas, creches e consultórios, os fonoaudiólogos são também auxiliam cantores, atores, empresários e políticos que querem melhorar sua comunicação oral.

A importância do desenvolvimento da dicção para as crianças

Durante a infância somos expostos a inúmeros estímulos e cenários, que podem, ou não, facilitar o desenvolvimento de toda a comunicação e oratória. Seja de maneira verbal ou não verbal, estamos sempre nos comunicando com o mundo.

Com o passar do tempo, é comum que algumas habilidades sejam amadurecidas com mais facilidade, e outras com menos. Entender tais dificuldades é o primeiro passo para que tais estigmas sejam destruídos, principalmente quando falamos do aperfeiçoamento da oratória infantil. Segundo estudos realizados acerca das chamadas Janelas de Oportunidades, as crianças passam pelo desenvolvimento da linguagem dos 9 aos 8 anos de idade. 

3 estratégias para treinar a dicção

Seja em você ou em alguma criança, após reconhecer o gatilho para as falhas de dicção, é hora de buscar por soluções. Nos casos de erros ocasionados por hábito ou psicológico, a solução vem da prática de determinados exercícios, os quais são praticados durante os cursos de oratória da Vox2you.

Brinque com trava-línguas

Além de gerar boas risadas, a prática com trava-línguas trabalha todos os músculos envolvidos no processo de fala e pronúncia. É uma maneira bastante lúdica de praticar um elemento da oratória e enriquecer o vocabulário das crianças, e ao repetirem sons parecidos de maneira rápida, vai sendo destravada a pronúncia e assimilação das sílabas parecidas.

I) O desinquivincavacador das caravelarias desinquivincavacaria as cavidades que deveriam ser desinquivincavacadas.

II) Disseram que na minha rua tem paralelepípedo feito de paralelogramos. Seis paralelogramos tem um paralelepípedo. Mil paralelepípedos tem uma paralelepipedovia. Uma paralelepipedovia tem mil paralelogramos. Então uma paralelepipedovia é uma paralelogramolândia?

III) O lavrador é livre na palavra e na lavra mas não pode ler o livro que o livreiro quer vender.

Pratique a leitura em voz alta

Expansão do vocabulário, melhora da habilidade de escrita e da capacidade de memorização, aumento do foco e da concentração. Esses são apenas alguns dos inúmeros benefícios conquistados pelo hábito da leitura. Contudo, ainda existe uma infinidade de pontos positivos na prática da leitura em voz alta.

Quando você está lendo “internamente”, você fica limitado dentro de uma experiência muito particular. A experiência de ler em voz alta permite o encontro do seu eu interior com as camadas mais profundas de significado nas palavras, visto que, sendo ditas, elas assumem vida própria fora da página escrita e tornam-se parte de você.

É importante enfatizar que o enriquecimento de nosso vocabulário e de nosso conhecimento não se dá pela leitura padrão de mesmos temas autores e gêneros. Mas, sim, pela diversificação da leitura. Relembrando a visão antropocêntrica do mundo, ou seja, uma visão de mundo que tem o homem como principal referencial leia textos em voz alta, uma leitura diversificada, sem resistências ou preconceitos, permite-nos a diversificação de conhecimento, a diversificação de nossa comunicação com os mais diferentes tipos de pessoas. 

Coloque um obstáculo na boca, como o dedo dobrado, preso entre os dentes. Após isso, leia as frases diversas vezes e em voz alta.

Invista em um curso de oratória

Se você chegou até aqui, provavelmente já entendeu a extrema importância do aperfeiçoamento da dicção e dos demais aspectos da comunicação. E é nesse cenário que entram os cursos de oratória, que vão muito além de ensinar a falar bem em público. 

Engana-se quem pensa as técnicas da oratória são necessárias apenas para grandes oradores, palestrantes ou para falar em multidões. Oratória é muito mais que isso, principalmente aqui na Vox. Entre em contato com a unidade mais próxima e descubra o curso de oratória perfeito para você.

 

Gostou desse conteúdo? Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber os conteúdos em primeira mão.

Newsletter Vox2you


Deixe um comentário