Boca seca, mãos suadas, respiração fora de ritmo e aquela sensação de que o coração vai “sair pela boca”. Essas sensações te trazem alguma lembrança quando o assunto é falar em público? Fique tranquilo(a), você não é o único. Segundo uma pesquisa da Universidade de Chapman, realizada em 2014, o medo de falar dominou o ranking de fobias listados pelos participantes. Outro levantamento realizado no Reino Unido em 2015 constatou que o medo de falar em público impactava 41% dos entrevistados, enquanto que o medo de problemas financeiros foi de 22% e o medo da morte registrou 19% das escolhas.

É, o que dizer de um medo que parece inofensivo, mas que na verdade é capaz de congelar todo o corpo do indivíduo, até o último fiozinho de cabelo? Mas nada de pavor. Perder o medo de falar em público segue um processo semelhante ao de uma receita culinária: antes do resultado final você precisa listar os itens necessários para o processo; no caso da receita, os ingredientes. Já no caso da comunicação, é fundamental entender de onde vem todo esse medo.

Qual parte do cérebro é responsável pela vergonha/medo de falar em público?

Córtex cingulado anterior pregenual. Nomezinho bem simples, não é mesmo?! Essa é uma das regiões do cérebro envolvida na produção do sentimento de vergonha. Além disso, essa é uma das áreas fundamentais na regulação de funções, como batimentos cardíacos, sudorese e respiração. Ela também responde por tarefas como o pensamento, emoções, comportamentos de busca da recompensa e tomada de decisão.

Vale lembrar que, em pessoas que apresentam baixos níveis de vergonha/constrangimento, essa região do cérebro é menor do que o normal. Juntamente a isso, os cientistas acreditam que quanto maior for uma região particular do cérebro, mais poderosas são as funções associadas a ela.

4 dicas e exercícios para perder o medo de falar em público

Treine sua respiração

O primeiro passo para melhorar a respiração é simples: observação. Se ao respirar você notar que o peito fica mais “inchado”, então provavelmente você não está utilizando toda a capacidade do seu sistema respiratório. A respiração ideal acontece quando todo o pulmão é preenchido pelo ar. Para saber se isso está acontecendo é só constatar se há a movimentação do diafragma (o que acaba projetando a barriga para frente). Para treinar não tem segredo: quanto mais fundo você respirar, mais o ar vai até o fim dos seus pulmões, promovendo uma sensação de relaxamento. Durante um discurso, você pode utilizar essa estratégia da seguinte forma:

Saber controlar a respiração levará seu corpo e mente a um estado concentrado, auxiliando também no controle da ansiedade.

Utilize a Programação Neurolinguística

Uma das técnicas de PNL que você pode usar para vencer o medo de falar em público é o círculo da excelência. Para colocá-lo em prática, siga estes passos:

Evite a ingestão de alimentos pesados 

Além de evitar possíveis desconfortos físicos, alguns alimentos muito pesados também podem gerar sono, prejudicando (e muito!) sua fala. Opte por comidas mais leves e saudáveis, incluindo sucos naturais antiestresse, como maracujá ou limão.

Bebidas muito geladas, café, balas e pastilhas ardidas, chocolate e até leite também podem ser alimentos prejudiciais para a sua comunicação, mais especificamente para a sua voz.

Atenção à linguagem corporal 

Assim como a linguagem verbal é alvo de inúmeras observações e cuidados, os gestos e expressões que compõem a linguagem corporal também. Isso deve-se principalmente aos estudos realizados acerca da comunicação humana, ou seja, que compreendem todos os aspectos desta. Por exemplo, segundo estudo realizado em 1960 por Albert Mehrabian, professor da University of California, a comunicação humana segue, em alguns contextos, a chamada “Regra 7-38-55”. Observe a imagem abaixo:

Em suma, o estudo aborda o poder das palavras, do tom de voz e das expressões faciais (linguagem corporal) na comunicação humana. Na teoria, Mehrabian afirma que a existência de uma inconsistência entre o verbal e o não verbal tende a levar o ouvinte para uma maior absorção do não verbal. Entretanto, o professor conclui que a regra não se aplica a todas as situações ou contextos do cotidiano.

Peito para frente, nada de ficar encurvado querendo se esconder do mundo. A cabeça deve ficar levemente inclinada para cima — olhar só para baixo não vai ajudar em nada. Uma postura correta ajuda as pessoas a se interessarem pelo que você tem a falar.

Livros e Ted Talk também podem ser seus aliados durante essa jornada de perdado medo e falar bem em público

5 Dicas extras: como segurar o microfone de forma correta

Apesar de facilitar a amplificação da voz, o uso do microfone muitas vezes acaba aumentando a tensão acerca do momento em que será utilizado. Mas, assim como o medo de falar em público, existem técnicas capazes de preparar qualquer pessoa para apresentações e ocasiões que necessitem do uso de microfones.

 

Gostou desse conteúdo? Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber nossos conteúdos em primeira mão!

 Newsletter Vox2you


Deixe um comentário