Se você não está preparado para dominar o mercado e se destacar na sua área de atuação – seja ela qual for- então esse conteúdo definitivamente não é para você. Mas caso tenha continuado a leitura, parabéns! Sua vida certamente não será a mesma depois de perder o medo/vergonha de gravar vídeos.

Por que devo gravar vídeos para o meu negócio?

Antes de qualquer coisa, nós temos uma pergunta: suponhamos que você precise entender sobre determinado assunto que não é muito comum na sua rotina. Você se depara com duas respostas. Uma delas lhe oferece apenas um texto 100% corrido, já a outra une o texto a imagens e vídeos explicativos e que possam lhe interessar. Qual deles você escolhe? 

Certamente a opção escolhida será a segunda. E é a partir da sua própria resposta que queremos lhe mostrar alguns dados. Segundo o estudo “The State of Social Report”, realizado pela VidMob (primeira empresa a utilizar inteligência artificial para cruzar os dados que compõem vídeos publicitários e analisar a performance destes nas plataformas digitais), 40% do tempo livre no ambiente digital é gasto assistindo vídeos. A pesquisa também identificou que 42% dos homens entre 18 e 24 anos gastam mais tempo assistindo vídeos do que as mulheres da mesma faixa etária (39%). No Instagram, o consumo/compartilhamento de vídeos é de 59%. 

Seja lá qual for o assunto ou o objetivo, o vídeo ainda é, sem dúvidas, o tipo de conteúdo mais popular entre todas as faixas etárias – para os jovens adultos, ele é liderado por uma ampla margem. 

5 dicas de oratória para perder o medo de gravar vídeos 

Domine o seu tema

Conhecer profundamente o tema que será abordado é um dos primeiros passos para concluir com sucesso a gravação de seus vídeos. Ao dominar o assunto você terá mais confiança, facilitando o caminho para que o seu espectador compreenda a mensagem. 

Todavia, ficar nervoso(a) também é completamente normal. A virada de chave acontece exatamente no momento em que você compreende que o nervosismo não pode atrapalhar sua performance. Todavia, caso precise improvisar em algum momento, saiba fazer isso com excelência. 

Diferentemente do que algumas pessoas imaginam, improvisar não significa falar sem conhecer o assunto. Se uma pessoa se atreve a fazer um improviso e falar em público sem ter informações sobre o tema que irá transmitir, ela não será esperta, mas sim, tola, afinal é sua própria reputação que estará em jogo. Ao estudar sobre improvisos, fique atento para: 

Tenha sempre um roteiro

Você acorda, abre os olhos, escova os dentes, lava o rosto e senta-se para tomar café da manhã. Esse é um exemplo de roteiro que você provavelmente segue e nem sabe. Ele pode ser um pouco diferente, mas no final das contas você acaba colocando-o como padrão no seu dia a dia. É mais ou menos assim que funcionam os roteiros de fala para vídeos, stories, apresentações e etc.

Organizar sua fala em início, meio e fim irá auxiliar o entendimento tanto do seu público, quanto o seu. É simples: estabeleça o assunto que vai ser tratado e como você fará essa abordagem. Por exemplo, imagine que você está no Instagram e sua pauta seja dar dicas sobre cursos de oratória. Para começar, nos primeiros dois vídeos você pode abordar sobre a temática de desenvolvimento pessoal/profissional e como isso está em alta hoje em dia. Logo em seguida, você pode mencionar que esse cenário foi o que lhe impulsionou a pesquisar e trazer essas dicas. Após ter feito isso, você pode listar 1 curso por vídeo, conseguindo distribuir bem sua fala nos 15 segundos de duração do vídeo.

Bora entender na prática sobre a importância de um roteiro?! Conte uma história popularmente conhecida, por exemplo, Cinderela. Todavia, conte essa história ao contrário.

Posicione a câmera do seu celular e conte sua história em até 2 minutos. Depois, assista o vídeo quantas vezes for preciso e fique atento às palavras utilizadas e à forma como são colocadas e o principal: como tudo isso tem relevância na construção de mensagens lineares e compreensíveis.

Fique atento(a) à naturalidade

Você já se pegou pensando o que os outros pensariam se você agisse do modo X ou do modo Y? Já refletiu se durante um momento específico elas julgaram sua performance? Essas são exatamente as situações que você deve abolir não só dos seus vídeos, mas também da vida. 

Ao ser pressionado e colocado em uma situação de nervosismo extremo, os seres humanos, muitas vezes, passam a agir de uma forma que não é naturalmente sua, forçando algo que não acreditam, apenas para agradar o público. Para isso não acontecer a dica é simples: seja você mesmo. Quanto mais espontâneo você for, mais cativante será sua abordagem e maiores as chances de sucesso.

Tenha sempre em mente que pessoas que não são acostumadas a gravar vídeos geralmente acabam tendo maior dificuldade de expressar sua naturalidade em um vídeo. Por isso, invista na gravação de vídeos testes, os quais você poderá analisar posteriormente.  

Mesmo após aprender técnicas avançadas de oratória, seja sempre você mesmo. Evite exageros e entenda que a comunicação é uma via de mão dupla, ou seja, para que seja assertiva ela deve ser entendida e bem interpretada por todas as pessoas envolvidas.

Você conquistará seus espectadores/seguidores por meio da essência. Afinal, ninguém quer acompanhar um robô ou uma vida robotizada.

Mantenha contato visual com a câmera

A falta de costume, o nervosismo e o medo de julgamentos são os elementos cruciais para a fuga do contato visual com o seu público. Responsável por fortalecer o Rapport e intensificar o processo de diminuição da distância que ocorre no virtual, o contato visual é mais importante do que parece.

Caso seu espectador/seguidor perceba um olhar perdido, desatento, ou vago demais, as chances são de perda do elo criado entre vocês, de modo a extinguir toda a credibilidade e confiança que ele tinha em você. Dessa forma, tome cuidado para não cruzar o limite entre o empático e o constrangedor.

Não tenha medo de errar

É isso mesmo que você leu. Diferentemente do que você imagina, errar é fundamental para o seu aprendizado. Assim como em matemática, é só errando que você poderá visualizar o caminho percorrido e qual o momento em que ocorreu o erro. 

Gravar vídeos não é uma tarefa fácil, por isso, grave, regrave, regrave de novo e mais uma vez se for preciso. Mas coloque todas essas dicas em prática durante o processo. Lembre-se que, assim como o restante do corpo, o cérebro também é um músculo e deve ser exercitado. Além disso, é a partir do erro que você viverá o efeito da mera exposição. Em linhas gerais, esse feito constata que os indivíduos passam a gostar mais de determinada coisa depois de criar certa familiaridade com ela. 

Como qualquer outra habilidade, perder a vergonha de gravar vídeos e falar bem são práticas que podem e devem ser treinadas, a fim de tornar o discurso mais espontâneo possível. Para lhe ajudar na perda do medo de gravar vídeos e também na busca por uma melhor comunicação, nós, da Vox2you, preparamos o “Guia prático: como perder o medo e falar bem em público”.

Saiba a importância daquilo que você está falando 

Pode parecer besteira mas não é. Sempre que possível, dedique um tempo especial para relembrar a importância do tema que você está trabalhando e como outras pessoas precisam daquilo para melhorar suas vidas. Colocar tal dica em prática é fundamental para que você aponte como prioridade o sentimento de ensinar, e não o medo de julgamentos. 

Gostou desse conteúdo? Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber nossos conteúdos em primeira mão!

 Newsletter Vox2you


Deixe um comentário