Já imaginou aprender a falar bem em público com técnicas de oratória com uma das séries mais famosas da Netflix? Então se liga nesse conteúdo que vamos falar especialmente disso!

Presente no catálogo da Netflix desde 2017 e com a quarta temporada recém inserida na plataforma, La Casa de Papel ganhou o coração de muita gente.

Com um enredo cheio de ação, histórias de desencontros amorosos e dramas particulares, La casa de Papel nos da uma intensa aula sobre oratória. Por isso, separamos 6 lições de oratória que você pode aprender com o Professor e toda sua equipe.

O poder do uso das Analogias

Durante a explicação do plano para a equipe, o Professor sempre busca facilitar seu discurso para que todos do grupo entendam. Um dos recursos utilizados por ele são as analogias, ou seja, relações de semelhança estabelecidas entre duas ou mais partes. Por exemplo, ao explicar o apoio que o grupo receberia da população, Professor diz que num jogo entre Brasil x Camarões, o Brasil venceria. Mas que o mundo todo, exceto os brasileiros, torceriam para Camarões, pelo fato de ser a menor equipe.

Seja o Professor de sua plateia. Ela está ali para ouvi-lo e compreendê-lo, por isso você deve conhecê-los e tornar aquele momento inesquecível na memória de cada um.

Assaltos, assaltos. Empatia a parte – O poder do Rapport

Antes de iniciar o processo de negociação com a inspetora Murillo, o Professor investe na criação de uma relação de empatia, nomeada na oratória como Rapport. Ao perguntar sobre a roupa e os gostos da inspetora, ele cria um ambiente menos tenso de conversa, que ao longo da série evolui exponencialmente. Além do Rapport criado entre o Professor e a inspetora Murillo, o restante da equipe dos assaltantes também buscar criar essa mesma relação com os reféns.

Já pensou com quantas “inspetoras e reféns” você já teve que lidar e acabou se perdendo?! Até mesmo em situações de extrema tensão e nervosismo, a relação humana se mantém, por isso, busque-a fazer da melhor forma para ambas as partes envolvidas.

Planejamento: o melhor amigo do Professor e da oratória

Antes dos assaltos, o que mais é passado na série são os momentos de planejamento. Além do plano de assalto em si, o Professor buscou saber sobre o “público” que sua equipe iria enfrentar, ou seja, os funcionários do banco. Pense em seus discursos e apresentações da mesma maneira que o Professor pensou em seu plano.

Quem será meu público? O que eu preciso saber sobre ele para me preparar? Não faça uma mera “decoreba”, e caso algo dê errado tenha sempre o plano “B”, “C”, “D”. Lembre-se que ao pontuar esses aspectos, a estruturação de seus discursos e apresentações se tornará um processo bem mais fácil.

Qualidade, e não quantidade!

Para o professor e sua equipe, roubar o dinheiro não era suficiente. Além da quantidade de dinheiro, a qualidade de entrega dele também era fundamental para o grupo. Não é atoa que Nairóbi sempre chefiava a produção do setor. Por exemplo, ao ver notas com certos defeitos, Nairóbi alerta seus ajudantes sobre a má qualidade, indicando que todas aquelas notas sejam refeitas.

Pode parecer improvável, mas na comunicação acontece um fato semelhante, afinal não adianta falar excessivamente e com palavras de baixa clareza se seu público não for entender. Preze sempre pela objetividade!

Discursos de tirar o fôlego

É isso que vemos durante o julgamento de Raquel Murillo. Nesse momento, o tempo é aliado do Professor. O que ele deseja? Que tudo seja contado ao juiz, detalhe por detalhe, para que assim, seus aliados tenham tempo suficiente para finalização do plano de resgate. Dois dias. Esse foi o tempo de julgamento, e o tempo suficiente para que o resgate tivesse um final feliz.

Como Lisboa conseguiu isso? Dando início, meio e fim para o seu discurso, bem como alinhando seu estilo de voz a situação. A organização de suas palavras e a voz firme foram pontos que mantiveram o juiz em êxtase. Pense no seu público como o juiz, utilize as técnicas de oratória certas e organize seu discurso de maneira com que ele não queira sair dali até que você acabe.

Obs: Fique atento aos exageros, pontue o que é realmente necessário.

O tom de voz de um líder

Se houvesse uma única coisa para ser destaque em toda a série, literalmente em todos os episódios, é a liderança exercida pelo professor. Desde o momento de planejamento, até a ação e o contato com os policiais, Professor manteve sua postura de líder, na qual enfatizaremos a brilhante utilização da voz.

Ritmo, volume e tom foram aspectos muito bem trabalhados, visto que sempre que havia a intenção de uma comunicação mais íntima com os policiais, Professor diminua o ritmo e falava mais pausadamente. Com relação à comunicação feita com a equipe, Professor manteve um tom de voz controlado, até mesmo nos momentos de apuros.

Em todos os momentos da sua vida, deixe o espírito de liderança fluir. Busque adequar sua voz às situações que você passa, variando em ritmo (rápido ou devagar), volume (alto ou baixo) e tom (grave ou agudo), só não se esqueça de que a modulação deve ser coerente com o conteúdo que está sendo apresentado. Para isso, é fundamental que você torne a leitura um hábito, treinando não só a voz, mas também aumentando seu vocabulário.

Seja qual for o seu sonho ou objetivo: não desista. La Casa de Papel não é uma produção original da Netflix, e antes de tornar-se sucesso mundial a série quase foi cancelada. Entende a importância de não desistir e sempre buscar melhorar seus resultados?!

Parafraseando Nairóbi: Empieza el sueno

 

Gostou desse conteúdo? Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber nossos conteúdos em primeira mão.

 Newsletter Vox2you


Deixe um comentário